Confira os melhores ETFs de 2022

Índices que refletem o Ibovespa e aqueles que replicam o desempenho de empresas pagadoras de dividendos foram os melhores ETFs do semestre.
melhores etfs 2022
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Índices que refletem o Ibovespa, os grandes pagadores de dividendos, as commodities e o setor financeiro no Brasil estão entre os melhores ETFs do primeiro semestre de 2022.

Entretanto, os índices que buscam representar a rentabilidade das criptomoedas e das empresas de inovação americanas são aqueles que apresentaram os piores desempenhos no mesmo período.

Um levantamento feito pelo Gorila listou os melhores ETFs de 2022, e nós convidamos o Márcio Wolter Filho, fundador da Passer, planejador financeiro e consultor de valores mobiliários para comentar os ativos em destaque.

Mas, antes de conferir quais são os melhores ETFs – e também os piores -, vamos a um breve cenário daquilo que determinou os desempenhos nos últimos seis meses.

Leia também:

ETF: saiba o que é e como investir

Inflação alta impacta os melhores ETFs

Após invadir a Ucrânia, a Rússia sofreu sanções do Ocidente. Como resultado, “ficou malvista pelos investidores internacionais”, afirma Márcio.

Para o fundador da Passer, “outras bolsas de emergentes mundo afora não parecem, aos olhos dos investidores, tão atrativas, como o caso da Índia”.

O petróleo é a commodity que mais afeta a inflação no Brasil, seguido pelas commodities agrícolas. Dessa forma, a subida no preço do barril, em decorrência da guerra, contribui para o aumento do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), que em maio ficou em 11,73%, considerando os últimos 12 meses, segundo o IBGE.

Saiba mais:

Inflação 2022: por dentro da alta generalizada dos preços

A alta inflação reduz o consumo, mas para o mercado financeiro outros fatores são levados em conta quando o tema é investimento.

“Mesmo se esperando um baixo crescimento neste ano, aliado à alta taxa de juros e inflação também elevada, o Brasil acaba sendo um destino razoável”, explica Márcio, que ainda destaca outras razões que nos favorecem:

  • Somos um país de destaque em commodities;
  • Na faixa de R$ 5, o dólar torna o país mais barato do que no pré-pandemia;
  • Para parte dos analistas, a bolsa está barata. O preço/lucro de cerca de 7 vezes representa um forte desconto em relação à média histórica dos últimos 15 anos, de pouco mais de 11 vezes.

Agora fica mais fácil entender os melhores ETFs do semestre e fazer boas escolhas de investimento, não é mesmo? Vamos ao levantamento do Gorila, comentado por Márcio Filho.

Os melhores ETFs de 2022


Fonte: Gorila
Dados referentes ao período de 03/01/2022 a 31/05/2022

FIND11 (+16,38%)

O FIND11 ficou acima do Ibovespa e teve pico de rentabilidade de 17,24% em janeiro. Abril foi o único mês com perda mais significativa, de -11,66%. Fonte do gráfico: Gorila

Busca replicar o desempenho das empresas mais representativas dos setores de intermediários financeiros, serviços financeiros diversos e previdência e seguros.

Depois de uma grande queda no segundo semestre de 2021, os bancos demonstraram bons resultados e perspectivas, assim, tiveram uma boa recuperação em 2022.

DIVO11 (+14,80%) e BBSD11 (+12,51%)

Estes ETFs focam em empresas que se destacam no pagamento de dividendos.

Portanto, o desempenho positivo se deve à grande procura de investidores por ações com boa previsibilidade de receita e forte caixa, com grande participação de empresas de energia, bancos, mineração, seguros e telecomunicações.

CMDB11 (+7,64%)

O CMDB11 representa o desempenho médio das ações de empresas produtoras e exportadoras de commodities.

Uma vez que há grande inflação mundial, os investidores também mostraram apetite por empresas desse setor, imaginando que os preços continuarão elevados.

PIBB11 (+7,36%)

Este ETF replica o desempenho das 50 empresas mais negociadas da bolsa. Como estamos falando de, principalmente, mineração, petróleo e bancos, fica fácil deduzir o porquê da subida no período.

BOVX11 (+7,52%), XBOV11 (+7,15%), BOVB11 (+7,14%), BOVV11 (+7,12%) e BBOV11 (+7,09%)

Por último, temos os ETFs que buscam seguir o Ibovespa, ou seja, o desempenho da bolsa, através da variação das ações de cerca de 90 das empresas mais importantes do mercado.

Os piores ETFs (até 31/05/2022)

Neste grupo de produtos aparecem os setores voltados à DeFi (finanças descentralizadas), criptomoedas e empresas americanas de inovação.

Dessa forma, o principal fator a ser considerado aqui é a alta de juros mundo afora, por conta da inflação elevada e das incertezas quanto ao crescimento global.

Leia também:

DeFi: descubra o que são finanças descentralizadas

Por conta disso, “ativos mais arriscados como as criptos e empresas de inovação e tecnologia, que exigem muito investimento, são bastante punidos, pois o crédito não está mais tão barato quanto nos últimos anos”, analisa Márcio. Ao mesmo tempo, a renda fixa se torna mais procurada pelos investidores.

Vimos os melhores ETFs, agora vamos aos produtos com pior desempenho:

O QDFI11 chegou a registrar alta de 23,03% em fevereiro, mas acumulou rentabilidade negativa de 22,99% em abril e 35,93% em maio, perdas que levaram o ETF a registrar o pior desempenho do semestre. Fonte do gráfico: Gorila

QDFI11 (-65,95%) e DEFI11 (-47,62%): ETFs investidos em protocolos de DeFi (finanças descentralizadas);

NFTS11 (-64,79%): ETF que replica no Brasil o desempenho do índice MVIS Crypto Media & Entertainment Leaders Index, que investe em tokens de mídia e entretenimento;

QETH11 (-56,34%), ETHE11 (-56,18%): refletem índices que acompanham o Ethereum;

Saiba mais:

Criptomoedas: Bitcoin x Ethereum x Litecoin – Entenda as diferenças

SHOT11 (-53,37%), WEB311 (-50,85%): espelham índices compostos por ações de empresas e plataformas de inovação listadas nas bolsas americanas.

Do mesmo modo, o BTEK11 (-50,79%) pode ser incluído aqui, já que aplica seu patrimônio em cotas do ETF XBI, que replica o desempenho de empresas do setor de biotecnologia listadas na Bolsa de Nova York (Nyse).

HASH11 (-47,78%) e BITH11 (-42,87%): o primeiro reflete o mercado de criptoativos, enquanto o segundo replica o índice Nasdaq Bitcoin Reference Price (NQBTC), benchmark desenvolvido pela Nasdaq para acompanhar o preço do bitcoin.

Controle seus ETFs no Gorila!

No Gorila você consegue analisar a rentabilidade dos seus ETFs e escolher benchmarks para que possa gerar gráficos comparativos e análises. Baixe o app e controle os seus investimentos em ETFs!

Está gostando dos nossos conteúdos? Siga o Gorila nas redes sociais e saiba mais sobre as melhores oportunidades de investimento do mercado! Estamos no Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e Telegram.

Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais

corretoras para investir no exterior
ações

Conheça 11 corretoras para investir no exterior

O Itaú comprou a Avenue, uma das principais e mais conhecidas corretoras para investir no exterior. Mas o promissor mercado de investimentos internacionais conta com diversas opções de plataformas, que atendem tanto investidores inexperientes quanto avançados. Conheça 11 corretoras para negociar ativos em dólar e diversificar a carteira!