Transferência de custódia: saiba como fazer

Na transferência de custódia, o cliente pode migrar seus ativos para outra corretora, que atenda suas necessidades. Veja como fazer esse processo.
Transferência de custódia
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Já sentiu a necessidade de transferir seus investimentos para outra corretora? Essa operação leva o nome de transferência de custódia e o Gorila explica como funciona essa importante ferramenta para o investidor. 

A transferência de custódia permite uma maior possibilidade de escolha do investidor. O processo é relativamente simples, mas pode mudar um pouco dependendo da corretora. Continue a leitura e confira como transferir a custódia dos seus ativos. 

O que é transferência de custódia

Primeiro vamos explicar o que é transferência de custódia. Basicamente significa retirar seus ativos, sejam de renda variável ou fixa, de uma instituição financeira para enviá-los para outra. Para exemplificar: seu dinheiro pode estar investido em um banco e quer migrar para uma corretora ou mesmo estar em uma corretora e quer colocá-lo numa diferente. 

No mercado há inúmeras corretoras onde o investidor pode abrir sua conta e começar a investir. Porém, algumas vez o cliente pode perceber que encontra problemas com o atendimento, poucos recursos online ou mesmo constatar taxas maiores para operações na Bolsa, que podem chegar a 2%. 

Após uma pesquisa entre as corretoras, o cliente pode sim solicitar a transferência dos seus investimentos para outra instituição. E não é preciso pagar nada sobre isso nem resgatar sua aplicações. Ficou interessado? Então continue a leitura. 

Quais ativos posso transferir a custódia

É importante esclarecer que a corretora tem apenas a custódia dos investimentos, ela não é detentora de nenhum papel. Dessa forma, se o cliente preferir ir para outra instituição ele pode fazer isso sem cobrança de taxas. 

Você pode solicitar a transferência tanto para ativos de renda fixa, como, CDB, LCA, LCI, fundos de investimento e Tesouro Direto, quanto para renda variável, como para ações e FII. O processo é basicamente o mesmo. 

Como fazer transferência de custódia 

Depois de conhecer os ativos, agora você deve se perguntar como fazer a transferência de custódia, não é mesmo? Após pesquisar bem as corretoras disponíveis no mercado, o primeiro passo é abrir conta nesta instituição.  

Depois disso, entre em contato com a instituição financeira inicial e peça pelo documento de transferência de valores mobiliários. 

Após o documento ser preenchido com informações pessoais e sobre as duas corretoras, é preciso ir até o cartório reconhecer firma da assinatura. Ainda é preciso enviar o documento à corretora original por correio ou email. 

Toda essa burocracia – desde precisar preencher formulário até ir num cartório para reconhecimento de firma- é um dos fatores que o investidor mais reclama e por vezes acaba sendo o motivo para não fazer a transferência de custódia. 

Novas regras para transferência de custódia 

Porém, em tempos de coronavírus, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) soltou um comunicado no dia 6 de abril dizendo que o requerimento de transferência deve ser, preferencialmente, realizada de forma digital. Dessa forma, a exigência de assinatura autenticada em cartório para pedir portabilidade é condenada pelo órgão. 

Isso facilita e muito o processo porque pelas regras, porque o cliente deve abrir uma conta numa instituição financeira B, para onde pretender levar o dinheiro; depois, solicitar à instituição A, onde tem as aplicações, para fazer a transferência. 

Vale dizer que esse processo só pode ser feito para a mesma titularidade – ou seja, da pessoa para a mesma pessoa ou da empresa para a mesma empresa. Além disso, de acordo com a CVM, a transferência dos ativos entre as corretoras deve ser feito em até 48 horas. 

Se por alguma razão, precisar ter algum procedimento por meio físico, a assinatura do cliente deve ser validada com a simples apresentação de documento de identificação válido. Dessa forma, não é necessário ir até um cartório para colher assinatura.

Dicas para escolher a corretora  

Por fim, procure sempre uma corretora que tenha os menores custos para operar, como taxa de corretagem e de custódia. Lembre-se que o parte do capital investido pode ser diminuído por esses taxas. Conheça as 7 principais taxas cobradas na hora de investir

Algumas corretoras oferecem mais opções em renda fixa, com diversos fundos, outras mais opções em renda variável. É fundamental saber qual é o seu perfil de investidor para que assim escolha a corretora que melhor atenda suas necessidades. 

Depois de escolher uma corretora de acordo com seu perfil, é hora de acessar a plataforma do Gorila e acompanhar a performance dos seus investimentos de um jeito simples e descomplicado. 

Curtiu? 

Conhece algum amigo que possa se interessar pelo assunto? Compartilhe o artigo através das redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Linkedin!

Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais

corretoras para investir no exterior
ações

Conheça 10 corretoras para investir no exterior

O Itaú comprou a Avenue, uma das principais e mais conhecidas corretoras para investir no exterior. Mas o promissor mercado de investimentos internacionais conta com diversas opções de plataformas, que atendem tanto investidores inexperientes quanto avançados. Conheça 10 corretoras para negociar ativos em dólar e diversificar a carteira!