Perdas recentes da bolsa já estão quase zerando os ganhos do ano

Morning Call 17-01-22
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Morning Call 03-05-22

Brasil

O mercado brasileiro deu sequência às perdas recentes e quase zerou os ganhos do ano, encerrando o primeiro pregão de maio em queda de 1,15%, aos 106.639 pontos. O movimento dessa segunda-feira refletiu tanto as preocupações com a desaceleração da atividade chinesa quanto a apreensão a respeito da decisão de política monetária do FOMC e do Copom, que devem ocorrer amanhã. O dólar também disparou no mercado brasileiro, apesar dos esforços do Banco Central para conter a desvalorização cambial, e retornou à casa dos R$ 5,00.

Leia também:
Em abril, bolsa tem o pior desempenho desde o início da pandemia

Ásia

Os principais mercados asiáticos fecharam esta terça-feira em baixa, impactados pela menor liquidez no continente e pela elevação das taxas de juros ao redor do mundo. As bolsas chinesas e japonesa se mantiveram fechadas  devido aos feriados nacionais e, na Austrália, o Banco Central decidiu pela elevação da taxa de juros em 0,25 p.p. para 0,35%. Ao final do pregão, a bolsa de Hong Kong avançava ligeiros 0,06%, ao passo que o índice de Taiwan caiu 0,56% e o índice sul-coreano recuou 0,26%.

Europa

As bolsas europeias operavam majoritariamente em alta pela manhã, puxadas pelas ações do setor financeiro e pelos bons resultados corporativos na região. Assim como se espera a decisão do Fed, o mercado também aguarda a decisão do Banco da Inglaterra (BoE), que deve suceder-se nesta quinta-feira e elevar a taxa de juros em 0,25 p.p. Ainda, a inflação ao produtor (PPI) na Zona do Euro, divulgada nesta manhã, já acumula alta de 36,8% em 12 meses, resultado acima das expectativas do mercado, enquanto a taxa de desemprego na região recuou para 6,8% em março.

Leia também:
Dovish e Hawkish: o que significam esses termos sempre presentes no noticiário de política monetária?

EUA

Os índices futuros de Nova York operavam próximos à estabilidade nesta manhã, após finalizarem em alta no dia de ontem em meio a um pregão bastante volátil. A reunião do FOMC desta quarta-feira segue no radar dos investidores, que esperam uma alta de 0,50 p.p. na taxa de juros, no entanto, muitos já começam a se questionar se o Fed seguirá com a redução acelerada do seu balanço, como anunciado na última reunião.

Balanços

A temporada de balanços corporativos internacionais segue com saldo positivo e, hoje, mais uma rodada de empresas deve divulgar seus resultados para o primeiro trimestre do ano, sendo elas: Pfizer, S&P Global, BP, Airbnb, Starbucks e Itau Unibanco. No Brasil, as empresas que publicarão seus balanços são: 3R Petroleum, Cielo, Iguatemi, JSL, Klabin, Marfrig, Raia Drogasil, Tegma, TIM, Vulcabras e XP.

Petrobras

A venda da refinaria de Isaac Sabbá para o Grupo Atem deve ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), como uma das obrigações da estatal a fim de finalizar uma investigação de abuso econômico contra a empresa.

Além do Morning Call de 03-05-22, acompanhe as notícias e análises de mercado pelo nosso canal do Telegram.

Inscreva-se no nosso canal no Telegram

Acompanhe notícias e análises diárias do mercado financeiro.

Leia mais

Leia mais

Morning Call 17-05-22

Ibovespa retoma sequência de altas

Morning Call 12-08-22 Brasil O índice Bovespa interrompeu sua sequência de sete pregões em alta na última quinta-feira, recuando 0,47% e fechando abaixo dos 110 mil pontos. O dólar também retomou sua alta, após semana

Morning Call 17-05-22

Prévia do PIB salta 0,69% em junho, acima das projeções

Morning Call 15-08-22 Brasil Após bons resultados econômicos domésticos e internacionais na semana passada, o principal índice da bolsa brasileira disparou quase 6%, fechando o pregão da sexta-feira acima dos 112 mil pontos. Pela manhã,

Morning Call 17-05-22

Petrobras anuncia 3º corte na gasolina

Morning Call 16-08-22 Brasil Apesar do maior pessimismo com a economia global, a bolsa de valores brasileira deu continuidade a sua trajetória recente de altas, encerrando acima dos 113 mil pontos, enquanto as taxas futuras