Melhores ações de 2022: confira a análise do 1º semestre

O Gorila conversou com especialista para analisar o primeiro semestre deste ano na Bolsa. Descubra as melhores ações de 2022 aqui!
melhores ações 2022
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

O primeiro semestre de 2022 acabou e é hora de analisar como foi esse período para a Bolsa. Para isso, convidamos uma especialista para discutir sobre o cenário atual e as melhores ações de 2022. 

Cleide Rodrigues, analista CNPI e consultora CVM, explicou com detalhes a situação da B3, bem como a das ações “queridinhas” da audiência e ainda acalmou o pessoal: “Não sofra, investidor!”.

Confira neste artigo tudo sobre o 1º semestre, digamos, turbulento da Bolsa de Valores!

Contextualizando…

Em 2022, com a queda do Ibovespa em 5,99% é difícil olhar para a Bolsa com tranquilidade, mas a especialista Cleide Rodrigues aconselha: “Não sofra, investidor!”. Para ela, tamanha turbulência se justifica pelo complexo momento mundial (político, social e econômico) em que estamos passando. Analisar a Bolsa de Valores a longo prazo pode ser uma boa estratégia para “acalmar o coração”.

Fato é que das 91 ações pertencentes ao índice Ibovespa, apenas 33 fecharam positivas no primeiro semestre de 2022. Há diversos motivos que justificam esse cenário: guerra entre Rússia e Ucrânia, alta do dólar, volatilidade das commodities, vai e vêm das medidas protetivas contra a pandemia. Mas 2022 não esteve tão negativo desde o início…

O primeiro trimestre deste ano foi animador, a Bolsa subiu muito com a entrada de investidores estrangeiros aplicando em commodities. No entanto, com o lockdown da China e a alta dos juros dos Estados Unidos, essa situação favorável não se sustentou. 

A Bolsa, assim como a economia como um todo, corresponde a fatores externos a ela, sendo assim, as altas e baixas são necessárias. A especialista afirma que “a melhor forma de se proteger [desse fenômeno] é comprar ações sempre”, estudando para tomar as melhores decisões e evitando se assustar com cenários não tão favoráveis como o de agora.

Para entender melhor, leia também:

Entenda a alta da taxa de juros no Brasil e no mundo

Rússia e Ucrânia: como a guerra afeta o preço das commodities

Alguns setores se deram bem! (outros nem tanto…)

Em momentos de crise é comum que os investidores saiam de empresas de crescimento para empresas já consolidadas, segundo Cleide. Tendo isso em vista, é fácil visualizar os setores que foram favorecidos e os que foram prejudicados no primeiro semestre de 2022.

Dentre os destaques positivos temos os bancos, as seguradoras, as companhias ligadas à energia elétrica e à commodities. Esses setores não se destacam apenas na Bolsa Brasileira, pois o movimento de sair do arriscado e inovador para o mais seguro e “clássico” é mundial. 

Por outro lado, três setores se destacam como negativos: varejo, construção civil e tecnologia. Isso se justifica por uma relação lógica, afinal, com a alta de juros, o consumo diminui, as despesas aumentam e os empréstimos se tornam mais caros e difíceis.

Melhores ações 2022: maiores altas do 1º semestre no Ibovespa

Fonte: GorilaFLOW

Dados referentes ao 1º semestre de 2022

1 – Cielo (CIEL3) 

Em primeiro lugar, temos a Cielo (CIEL3), empresa brasileira de serviços financeiros. Com alta de 65,49%, a posição da instituição reafirma que o setor econômico teve destaque positivo nos últimos 6 meses.

Os analistas do JPMorgan estimaram melhores lucros para Cielo nos próximos meses, bem como aumentaram o preço-alvo dos papéis da companhia. Os bons resultados no primeiro trimestre do ano, estimularam o crescimento exponencial e permitem otimismo para os próximos meses.

Melhores ações 2022: O ticker CIEL3 não começou o ano tão bem, mas, a partir de março apresentou altas e, mesmo com uma forte queda em meados de maio, se recuperou bem.
O ticker CIEL3 não começou o ano tão bem, mas, a partir de março apresentou altas e, mesmo com uma forte queda em meados de maio, se recuperou bem.

2 – Eletrobras (ELET6)

A segunda colocada entre as melhores ações de 2022 é a famosa Eletrobras (ELET6), empresa do ramo de energia elétrica, cujos papéis preferenciais cresceram 46,85% nos últimos seis meses. 

O motivo para sua ascensão pode ser dividido em duas fases: a primeira diz respeito ao movimento mundial de investimento em setores mais tradicionais; e, a segunda, à privatização da instituição, que aconteceu em junho de 2022.

Melhores ações 2022: A Eletrobras vem apresentando altas desde o primeiro trimestre, no entanto, se destacou em junho dada a privatização da empresa.
A Eletrobras vem apresentando altas desde o primeiro trimestre, no entanto, se destacou em junho dada a privatização da empresa.

3 – Eletrobras (ELET3)

A Eletrobras ocupa, também, o terceiro lugar dessa lista. No entanto, enquanto os papéis preferenciais (ELET6) subiram 46,85%, os ordinários (ELET3) subiram um pouco menos, 40,27% (papéis ordinários). 

A empresa recém-privatizada domina cerca de um terço da energia elétrica do Brasil, sendo considerada a maior do setor em toda a América Latina. 

Os tickers ELET3 e ELET6 tiveram desempenho muito semelhante: um início de ano mais devagar com mais destaque para meados de junho.
Os tickers ELET3 e ELET6 tiveram desempenho muito semelhante: um início de ano mais devagar com mais destaque para meados de junho.

4 – Hypera Pharma (HYPE3)

O ramo farmacêutico também apareceu entre as 5 ações que mais cresceram neste semestre. A Hypera Pharma, a maior instituição brasileira nesse ramo, cresceu 35.46% entre janeiro e junho de 2022.

A empresa é responsável pelo comércio e distribuição de diversos medicamentos conhecidos entre os cidadãos brasileiros: Engov, Estomazil, Neosaldina, Zero Cal, Doril. 

A Hypera Pharma vem com sequentes subidas, com destaque e melhor desempenho a partir de março de 2022.
A Hypera Pharma vem com sequentes subidas, com destaque e melhor desempenho a partir de março de 2022.

5 – BB Seguridade (BBSE3)

A quinta posição das melhores ações de 2022 ficou com o “braço” do Banco do Brasil que atua no ramo de seguros (BBSE3). A empresa, também do setor financeiro, subiu 29.51% no último semestre.

As expectativas do BTG Pactual mostram que há possibilidade de mais crescimento nos próximos meses.  Os resultados surpreendentes somados à alta da taxa Selic são alguns dos motivos para essa crença.

O Banco do Brasil Seguridade teve um primeiro trimestre de crescimento e um segundo trimestre de certa solidez de bons resultados.
O Banco do Brasil Seguridade teve um primeiro trimestre de crescimento e um segundo trimestre de certa solidez de bons resultados.

Melhores ações 2022: maiores baixas do 1º semestre no Ibovespa

Fonte: GorilaFLOW

Dados referentes ao 1º semestre de 2022

1 – Magazine Luiza (MGLU3) 

A líder das baixas na bolsa não é novidade para os investidores mais atualizados. A Magazine Luiza é uma rede varejista brasileira que vem encontrando desafios nos últimos tempos. 

Com a baixa de 67,45% da empresa, é possível notar que mesmo uma gigante do mercado pode sofrer com as altas de juros e inflação. A característica cíclica das empresas de varejo pede atenção e paciência dos acionistas.

O primeiro trimestre da Magalu foi marcado por baixas de até 30%, mas a partir de meados de abril as quedas passaram a ser frequentes e alcançaram a casa dos 60%.
O primeiro trimestre da Magalu foi marcado por baixas de até 30%, mas a partir de meados de abril as quedas passaram a ser frequentes e alcançaram a casa dos 60%.

2 – Méliuz (CASH3) 

A empresa de tecnologia, que atua no segmento de programas e serviços, se apresentou como a segunda ação que mais caiu em 2022 (até agora!). A queda foi considerável: 66,67%.

No entanto, é importante ter calma visto que é esperado que as startups de tecnologia estejam em um momento de pior desempenho, dado que a maioria dos investidores estão “fugindo” delas.

O ticker CASH3 se manteve negativo em todo o primeiro semestre de 2022, piorando entre maio e junho.
O ticker CASH3 se manteve negativo em todo o primeiro semestre de 2022, piorando entre maio e junho.

3 – Via (VIIA3)

Mais uma varejista se encontra na lista das ações que mais derreteram entre janeiro e junho de 2022. A Via Varejo (VIIA3) é responsável pelas redes de lojas físicas e virtuais Casas Bahia e Ponto, além de outras fortes instituições do ramo de móveis e e-commerce.

Assim como suas companheiras de setor, a Via sofreu no contexto atual e teve queda de 63,24%. Os juros altos afetam diretamente o poder de compra da população e, consequentemente, o faturamento. 

A empresa Via esteve no campo negativo nos últimos seis meses, a piora foi acentuada no segundo trimestre do ano.
A empresa Via esteve no campo negativo nos últimos seis meses, a piora foi acentuada no segundo trimestre do ano.

4 – Locaweb (LWSA3) 

A Locaweb (LWSA3) é responsável por hospedar sites e é considerada líder do ramo no Brasil e na América Latina. No entanto, a boa reputação não foi suficiente para conter a queda.

Com baixa de 57,22%, mais uma instituição tecnológica se faz presente entre os piores desempenhos do semestre. A justificativa se repete, empresas de crescimento são menos interessantes à maioria dos acionistas em momento de altas taxas e juros.

O cenário para a Locaweb não foi favorável desde o primeiro mês do ano, se intensificando no segundo semestre.
O cenário para a Locaweb não foi favorável desde o primeiro mês do ano, se intensificando no segundo semestre.

5 – Americanas (AMER3)

A última do top 5 de ações que mais caíram reúne dois dos setores mais prejudicados no atual momento: o varejista e o tecnológico. A fusão entre Americanas.com, Submarino.com e Shoptime não se deu bem nos primeiros seis meses de 2022.

Desde meados de abril, a empresa apresentou quedas subsequentes e fechou o semestre com rentabilidade de -56,54%. A expectativa de melhoria depende, diretamente, da suavização dos juros.

A Americanas apresentou algumas altas interessantes entre janeiro e março, mas a partir de abril seu desempenho caiu consideravelmente.
A Americanas apresentou algumas altas interessantes entre janeiro e março, mas a partir de abril seu desempenho caiu consideravelmente.

MGLU3, RAIZ4 e MRFG3: as escolhidas da nossa audiência

Antes da conversa com a especialista, pedimos para os seguidores do Gorila nas redes sociais enviarem as ações que gostariam de ver analisadas (nos acompanhe: Instagram, Facebook, Twitter, LinkedIn e Telegram).

A Magazine Luiza (MGLU3) foi a mais votada. A empresa de varejo é multifacetada e, segundo Cleide Rodrigues, “está à frente da digitalização do varejo brasileiro”. Apesar de ser promissora, Magalu é uma empresa cíclica. Ou seja, sofre com a alteração de juros e, consequentemente, é volátil. Isso explica o mau momento da companhia (queda de 67,45%): juros altos, muitas despesas, aumento do preço dos produtos e pequena margem de lucro.

Já a Raízen (RAIZ4) foi a segunda mais votada. 80% da receita da empresa vem da distribuição de combustível, uma área que tem muita concorrência. Então, mesmo que a empresa cresça muito, ela continua com uma margem “apertada”, que, somada ao contexto de crise, justifica esse momento não tão positivo, caindo 28,55% neste primeiro semestre. 

Por fim, Marfrig (MRFG3) ocupou o terceiro lugar da nossa pesquisa. A companhia é a segunda maior produtora de carne bovina e a maior produtora de hambúrguer do mundo. O fluxo de caixa operacional em 2021 chegou a R$ 9 bi. No entanto, o mercado de carnes tem o histórico de endividamento, segundo Cleide, cenário que só começou a mudar em 2018. Ou seja, o recente histórico de mais lucros que dívidas, pode ter influenciado na baixa de 43,52% do ticker.

O que podemos concluir?

Cleide enfatiza que “devemos esperar mais emoção para o segundo semestre”. Devido às eleições no Brasil e ao possível aumento das taxas de juros, é muito provável que venha mais volatilidade por aí. 

No entanto, a especialista aconselha, mais uma vez, que os investidores devem continuar comprando ações, sempre com consciência, embasamento e – se possível – aconselhamento de um profissional. 

O conselho final é válido para todo tipo de investidor: “É importante ter paciência e tempo para ter resultado!”.

Quer assistir à análise completa da especialista Cleide Rodrigues? Confira a live!

Invista em ações e acompanhe seus ativos com o Gorila

Com o app do Gorila, você pode ver a evolução completa do seu patrimônio na palma da sua mão ou na tela do seu computador.

Unifique a sua carteira de investimentos em um só lugar de maneira clara e dinâmica. Além disso, acompanhe o pagamento de proventos! 

Conheça o nosso site ou baixe nosso app na Google Play Store ou Apple Store.

Curtiu o conteúdo? Continue acompanhando o Blog do Gorila e nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook, Twitter, LinkedIn e Telegram

*Texto escrito sob supervisão de Álvara Bianca

Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais

Serena Williams
investimentos

7 dicas da Serena Williams para inspirar o investidor

Serena Williams esteve na Expert XP, maior festival de investimentos do mundo, para falar do seu lado como investidora. A norte-americana contou mais sobre a sua experiência com venture capital e investimentos em startups. Confira as dicas dadas pela maior tenista da história!