Indicadores Econômicos: conheça os principais e a sua importância

Confira a importância dos indicadores econômicos, os principais e como eles refletem a economia e os seus investimentos
indicadores econômicos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Estar bem informado é fundamental para a tomada de qualquer decisão e, para quem deseja investir ou mesmo acompanhar suas aplicações no mercado financeiro, estar atento aos indicadores econômicos é essencial.

Para onde olhar?

Para além da necessidade de bons indicadores, para que se possa entender a realidade brasileira é essencial que haja uma estrutura por detrás comprometida e capaz de produzir e fornecer dados e estudos de alta qualidade. O Brasil possui uma série de instituições de excelência, tanto públicas quanto privadas, responsáveis pela produção dos mais variados indicadores sociais e econômicos nacionais. São elas:

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): Responsável pela elaboração de uma dezena de indicadores, que vão muito além dos econômicos, é um dos mais antigos e o principal centro de produção e fornecimento de dados e estatísticas do Brasil. Seus dados são utilizados, tanto por entes privados quanto públicos, para a elaboração de importantes estudos aplicados aos mais diversos setores da sociedade em todas as esferas governamentais. É substancial para formulação de políticas públicas e fornece um grande poder de compreensão sobre a realidade estrutural e conjuntural brasileira.

Banco Central do Brasil (BCB): É a autoridade responsável pela formulação e execução da política monetária no país, tendo como principais mecanismos a definição da meta para a taxa de juros básica da economia e as operações de mercado aberto. Atua tanto no mercado monetário, no mercado de crédito e no mercado cambial. Dentre suas principais atribuições estão o comprometimento com a manutenção da inflação na meta e a garantia do bom funcionamento do sistema financeiro. Também é responsável pela administração do Sistema Especial de Liquidação e Custódia e pela operacionalização dos leilões de títulos públicos e cambiais. Vale atentar-se ao Relatório Focus, publicado toda segunda-feira, que reúne as expectativas do mercado para alguns dos indicadores econômicos mencionados ao longo do artigo. No nosso canal do Telegram você acompanha semanalmente esses valores.

Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE): É uma unidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV) focada na produção de indicadores e estudos econômicos aplicados de ponta. Fornece dados importantes sobre ciclos econômicos e de negócios, amplamente utilizados no aperfeiçoamento de políticas públicas, além de oferecer soluções personalizadas para as empresas.

Outros importantes centros: Ministério da Economia e Secretaria do Tesouro Nacional (STN); Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Anbima e Ministério do Trabalho.

Quais são os principais indicadores econômicos?

Nesse texto, apresentamos os 12 indicadores econômicos para o acompanhamento da conjuntura econômica brasileira, com o objetivo de auxiliar o entendimento do leitor para temas relacionados à economia e sua relação com os investimentos. Acompanhe!

Atividade

PIB

Talvez o índice mais conhecido, o Produto Interno Bruto é o principal indicador de atividade econômica do país. É calculado trimestralmente pelo IBGE e divulgado pelo Sistema de Contas Nacionais Trimestrais, através do somatório de todos os bens e serviços finais produzidos no país em determinado período de tempo, não lhe cabendo mensurar a riqueza do país ou a qualidade de vida.

O PIB funciona como um indicador síntese da economia, auxiliando na compreensão da conjuntura econômica do país. A partir de sua divulgação, é possível traçar a evolução do índice ao longo do tempo, sendo um indicador que viabiliza a elaboração de comparações intertemporais e internacionais, além de parametrizar uma série de outros indicadores, como PIB per capita ou Dívida/PIB.

É importante, ao se discutir o Produto da economia, que se diferencie variáveis nominais das variáveis reais. Lembrando que as variáveis nominais são aquelas expressas em unidades monetárias, tais como os preços, enquanto que as variáveis reais equivalem a termos relativos, como por exemplo salário real, poder de compra e preços relativos.

Assim como nos investimentos, onde se busca ganhos reais, superiores à inflação, ao se trabalhar com o PIB, um crescimento nominal, impulsionado pelo aumento generalizado dos preços, pode muito bem esconder uma estagnação da economia, isso porque, apesar do efeito inflacionário, não houve crescimento no volume transacionado ao longo do ano.

IBC-Br

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central é um indicador divulgado mensalmente pelo Banco Central, que agrega dados do nível de atividade para os três setores da economia: agropecuária, indústria e serviços.

De extrema importância para o mercado, o IBC-Br busca antecipar os resultados do PIB, publicados trimestralmente, além de amparar a decisão do Banco Central a respeito da taxa de juros.

PIM-PF

A Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física é realizada e divulgada pelo IBGE com o objetivo de providenciar o máximo de informação possível sobre o comportamento do produto real das indústrias extrativa e de transformação no Brasil. 

É bastante relevante para o acompanhamento do setor industrial brasileiro, permitindo a observação do processo de aquecimento da produção industrial nacional e a antecipação de possíveis gargalos e choques de oferta. 

PMS

A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) apresenta, mensalmente, indicadores que nos ajudam a acompanhar o desempenho do setor de serviços no Brasil. Divulgada pelo IBGE, a PMS acompanha detalhadamente o maior setor da economia brasileira através das empresas cuja prestação de serviços seja a receita principal.

A pesquisa investiga a receita bruta proveniente de serviços prestados pelas empresas para diferentes agrupamentos de serviços, sendo possível observar como cada subgrupo é afetado por flutuações na economia.

PMC

A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) tem por objetivo informar, através de uma variedade de indicadores, o desempenho do comércio varejista no país. Também elaborada pelo IBGE, é um bom indicador do grau de aquecimento da atividade econômica, uma vez que representa o nível de consumo da economia, podendo ser correlacionada a outros indicadores, como a demanda ou nível de emprego.

A pesquisa ainda informa detalhadamente o comportamento dos diferentes setores de atuação do comércio varejista, apresentando um bom panorama da conjuntura econômica atual.

PNAD-Contínua

A Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD) Contínua é um estudo elaborado pelo IBGE, publicado mensal, trimestral e anualmente desde 2012, que apresenta dados essenciais para a conjuntura econômica brasileira relativos ao mercado de trabalho. 

A pesquisa permite entender a realidade socioeconômica do país, fornecendo dados sobre a taxa de desocupação, população dentro e fora da força de trabalho, trabalhadores na informalidade… para os diferentes setores de atividade da economia. Assim, sendo possível acompanhar a trajetória conjuntural brasileira e auxiliar as decisões das autoridades monetária e fiscal, que visam promover o pleno emprego. 

Novo CAGED

Assim como a PNAD Contínua, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) é outro instrumento essencial para estudar o mercado de trabalho no Brasil. Divulgado mensalmente pelo Ministério da Economia, o CAGED acompanha o mercado de trabalho formal desde 1965, sofrendo uma remodelação no início de 2020.

Com o objetivo de acompanhar a geração de empregos formais no país através do fornecimento de dados sobre admissões e desligamentos, o CAGED tem papel fundamental na formulação de políticas públicas voltadas à formalização dos postos de trabalho, além de prover acesso a programas sociais.

Inflação

IPCA

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é a medida de inflação mais amplamente conhecida e utilizada no país. Produzido e divulgado pelo IBGE, é considerado o termômetro oficial da inflação brasileira. 

O índice tem por objetivo mensurar a variação dos preços de uma cesta de produtos e serviços para o consumidor final e refletir o custo de vida de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.

O IPCA é essencial para a formulação da política monetária, uma vez que, desde 1999, o Banco Central opera sob o regime de metas para a inflação, no qual a autoridade monetária se compromete a manter a inflação observada (medida pelo IPCA) em linha com a meta pré-estabelecida, utilizando de ferramentas, como a Taxa Selic (discutida à frente), para atingir tal objetivo.

Ao investir, é essencial que se atente a esse índice, uma vez que, para além do IPCA servir de indexador para uma série de investimentos, principalmente em renda fixa, a inflação tem o poder de corroer a rentabilidade de seus investimentos, transformando ganhos nominais em perdas reais.

Leia também: Confira 6 investimentos atrelados à inflação para se proteger da alta do IPCA

Gráfico extraído do Gorila onde é possível acompanhar os investimentos observando a comparação com alguns dos principais indicadores econômicos
Pelo app do Gorila, você pode acompanhar seus investimentos e compará-los aos principais benchmarks do mercado.

INPC

Muito parecido com o IPCA, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) também é uma medida de inflação produzida e divulgada mensalmente pelo IBGE, sua maior diferença está na abrangência. 

Enquanto o IPCA busca refletir o custo de vida de famílias com rendimentos de até 40 salários mínimos, o INPC abrange famílias em situações menos favorecidas, cuja renda mensal vai de 1 a 5 salários mínimos.

Esse indicador é bastante relevante, principalmente levando em consideração a classe trabalhadora, uma vez que tem por objetivo servir de indexador para a correção salarial, tal qual do salário mínimo, e a alguns benefícios sociais.

IGP-M

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), calculado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas, consiste em uma medida de maior abrangência para a inflação. Considerando o efeito da variação dos preços ao longo de toda cadeia produtiva,  é obtido a partir da ponderação de três outros índices: Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

Em períodos de maior instabilidade econômica, em que há maior volatilidade da moeda, é possível observar o IGP-M bastante superior ao IPCA, uma vez que o câmbio tem papel importante na formação de preço dos insumos para a produção, capturada pelo índice mais geral.

O IGP-M tem grande impacto na economia, sendo utilizado principalmente para realizar os ajustes anuais dos contratos de aluguel, além de algumas outras tarifas, como da energia elétrica, podendo afetar seus investimentos diretamente caso aplique no setor imobiliário, seja por fundos imobiliários (FIIs) ou por imóveis físicos. 

Ainda, assim como em todas as aplicações financeiras, mas com ênfase nas que não possuem proteção cambial, é necessário atentar-se para o índice uma vez que se busca rendimentos reais, superiores à inflação, para seus investimentos.

Saiba mais: 

Rentabilidade real dos investimentos: aprenda o que é e como calcular

Gráfico extraído do Gorila mostrando a rentabilidade dos investimentos comparado com o IGP-M, um dos indicadores econômicos
Gráfico extraído do Gorila mostrando a rentabilidade dos investimentos comparado com o IGP-M

Política Monetária

Taxa Selic

A Taxa Selic, ou Selic Over, cujo nome deriva do Sistema Especial de Liquidação e Custódia, é apurada a partir da taxa média das operações de empréstimos de um dia realizadas entre instituições financeiras, que têm como garantia títulos públicos federais.

Sua relevância transcorre de ser a taxa básica de juros da economia brasileira, funcionando como parâmetro para as demais taxas de juros cobradas no país, aumentando ou diminuindo o custo de captação, afetando os juros cobrados sobre empréstimos, sobre financiamentos e sobre as aplicações financeiras.

A taxa Selic é o principal instrumento de atuação da autoridade monetária, cujo objetivo é manter a inflação na meta e suas expectativas ancoradas. Assim, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne a cada 45 dias para deliberar a nova meta para a taxa Selic, levando em consideração uma amplitude de fatores, que passam pelos balanços de riscos, cenário externo e política fiscal à inflação esperada.

Seu impacto sobre os investimentos é bastante disseminado. Assim como os indicadores de inflação, a Taxa Selic funciona como indexador para uma série de títulos públicos, além de determinar outras taxas relevantes para o mercado, como o CDI. 

Quanto maior a taxa, maior também o custo de oportunidade de se investir em renda variável, uma vez que investimentos com retorno esperado possuirão alta rentabilidade, por isso que, muitas vezes, seguida de uma alta do Copom observa-se uma queda do índice Ibovespa

Ainda, seus efeitos sobre a atividade, como a redução do consumo por uma elevação no custo de crédito, também afetam o mercado financeiro, que fica mais receoso com uma economia mais desaquecida.

Câmbio

O câmbio é de suma importância para a economia brasileira, impactando a decisão dos mais diversos agentes em todos os setores da economia. A Taxa de Câmbio é o preço de uma unidade de moeda estrangeira em termos da moeda nacional.

Muita vezes a compra de moedas estrangeiras por pessoas físicas é mais associada a fins turísticos ou envio e recebimento de remessas pessoais, mas o câmbio exerce papel fundamental sobre a balança comercial e os investimentos.

Tem grande impacto sobre a indústria, pois têm influência direta sobre os preços dos insumos, principalmente de commodities. Quanto mais desvalorizado está o câmbio, menor é o preço dos bens produzidos internamente no mercado internacional, favorecendo a exportação e desaquecendo o consumo. Quanto menor é a conversão de reais  para dólares, maior a importação e o consumo, por consequência.

No mundo dos investimentos, acompanhar as oscilações cambiais é essencial para qualquer investidor. O câmbio pode impactar sua carteira pelos mais diversos canais, caso invista em renda fixa, em contratos futuros de commodities, fundos cambiais, empresas estrangeiras na bolsa brasileira ou caso busque investimentos no exterior.

Acompanhe seus investimentos

O Gorila ajuda o investidor no acompanhamento dos mais variados investimentos, trazendo dados e gráficos para você analisar a performance da carteira. 

A ferramenta de “Rentabilidade Avançada” na plataforma do Gorila permite visualizar as classes dos ativos e comparar com os principais benchmarks, como IPCA, CDI, Ibovespa e dólar

Curtiu o artigo sobre os principais indicadores econômicos? Então aproveite para seguir as nossas mídias. Por lá você fica por dentro das novidades na plataforma do Gorila, além de conteúdos sobre o mercado: Facebook, Instagram, Twitter , LinkedIn e Telegram

*Texto escrito sob supervisão de Álvara Bianca.

Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais