Os 7 erros mais comuns na declaração de Imposto de Renda

Para que você não tenha erros na declaração de Imposto de Renda, listamos alguns deslizes cometidos pelos contribuintes.
Arte 3d com uma prancheta flutuando junto a uma mão marcando checkpoints no papel
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Com medo de cometer erros na declaração de Imposto de Renda? O leão pode assustar, mas é preciso muita atenção aos detalhes para não cair na malha fina e ter que acertar as contas com a Receita Federal. 

Preparamos um conteúdo elencando os principais erros que acabam sendo cometidos na hora de preencher a declaração de Imposto de Renda (IR). O prazo final foi prorrogado, sendo que o contribuinte deve fazer a entrega do documento até o dia 31 de maio. 

Confira também nosso artigo com as novas regras do Imposto de Renda 2022

7 principais erros na declaração de imposto de renda

1 – Não declarar os lucros ganhos na bolsa de valores

Um dos principais erros cometidos por quem vai declarar Imposto de Renda é não informar os lucros obtidos na Bolsa de Valores. Depois de fazer a venda de uma ação, por exemplo, o contribuinte deve preencher a ficha de “Renda Variável”. 

Informe o total de lucro ou prejuízo mensal obtido em cada tipo de ativo e operação, usando o sinal de  “-” nos prejuízos. Nos meses que não operou, basta colocar o valor zero.

Lembrando que o IR só incide sobre os ganhos de capital acima de R$ 20 mil. Caso não informe o lucro com ações, você está sujeito a multa e juros.

2 – Declaração de rendimento na ficha errada

Na declaração de IR, há três tipos de rendimentos: tributáveis (como salário e aluguel), de tributação exclusiva (como juros sobre capital próprio) e não tributáveis (como rendimento da poupança ou dividendos).

É preciso atenção na hora de selecionar a ficha correta para informar os valores. Por exemplo, se você precisa informar os rendimentos de aluguel, deve escolher a ficha de “Rendimentos Tributáveis”. 

Caso deseje informar o recebimento de dividendos das ações ou fundos imobiliários, é preciso detalhar os valores dentro da ficha “Rendimentos Não Tributáveis”.  

Saiba mais: 
Veja como declarar ações no Imposto de Renda 2022
Como declarar investimentos no Imposto de Renda 2022

Se houver erros no preenchimento, o contribuinte terá que entregar uma declaração retificadora e pagar multa.

3 – Não declarar os investimentos isentos de IR

Apesar de isentos de Imposto de Renda, investimentos como poupança, LCI, LCA, CRI, CRA, debêntures incentivadas e vendas com ações realizadas por mês que não excedam a R$ 20 mil, devem constar na declaração anual da Receita. 

Esses ativos citados devem ser informados na ficha de “Bens e Direitos”. Em “Situação em 31/12/2021”, informe o valor total de títulos que você tinha nesta data.

Já em “Situação em 31/12/2020”, indique o valor total investido em títulos até essa data – basta replicar o valor declarado no ano anterior. Caso não tenha títulos em 2020 é só deixar esse campo zerado.

Em outro artigo você encontra mais detalhes de como declarar investimentos no Imposto de Renda 2022.

4 – Problemas de digitação

Também é bastante comum aparecer entre os erros na declaração de imposto de renda algum problema de digitação. O cansaço ou a falta de atenção podem causar um prejuízo tremendo. Lembre-se que um único dígito incorreto pode ser suficiente para levar o contribuinte à malha fina.

Por isso, na hora de preencher a declaração, reserve um tempo e tenha todos os comprovantes e informes de pagamentos em mãos. Antes de enviar o documento, revise os campos para que não haja brecha para erros. Importante: não deixe para fazer isso no último dia!

5 – Confundir PGBL com VGBL

As siglas podem ser parecidas, porém cada uma deve constar num campo de declaração. Somente o PGBL permite deduzir 12% dos valores sobre o Imposto de Renda. 

Assim, quem tem o plano de previdência do tipo VGBL deve preencher as informações na ficha “Bens e Direitos” sob o código 97. 

Já as contribuições do plano PGBL devem ser colocadas na ficha “Pagamentos e Doações Efetuados”, com o código 36. 

6 – Não declarar criptomoedas

Quem investe em criptoativos também deve preencher a declaração de IR. Segundo a Receita, as criptomoedas devem ser declaradas pelo valor de aquisição e não de mercado. 

Além disso, os ganhos obtidos com a venda superiores a R$ 35 mil por mês são tributados, segundo alíquotas progressivas estabelecidas em função do lucro. O recolhimento é através da DARF e deve ser feito até o último dia útil do mês seguinte ao da transação.

Confira os códigos para declarar criptomoedas

7 – Não declarar investimentos no exterior

Independentemente do valor, quem possui aplicações no exterior também precisa fazer a declaração. 

O investidor deve preencher a ficha “Bens e Direitos” com o número da conta, país, o nome do investimento e da instituição financeira, junto ao número equivalente ao que seria o CNPJ.

Em relação ao valor, é preciso informar a quantia que está investida em moeda estrangeira.

Veja mais detalhes de como preencher a declaração de investimentos no exterior

Quite com a Receita

Depois de conhecer os principais erros na declaração de Imposto de Renda, você está preparado para acertar as contas com o leão.

Preparamos um e-book gratuito com dicas de como declarar os principais investimentos. Garanta já o seu!

QUERO MEU E-BOOK

Aproveite para seguir as redes sociais do Gorila para ficar por dentro das principais notícias do mercado: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e Telegram.

Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais