Confira o significado dos códigos de ações

Já ficou em dúvida sobre o que significa os códigos de ações? O Gorila explica como o ticker é determinado por quatro letras e um número.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Quando você está no home broker da corretora precisa digitar uma combinação de letras e números. Alguns são bem conhecidos, como PETR4 ou VALE3, mas já ficou curioso sobre o significado dos códigos de ações? O Gorila vem trazer essa explicação para que o investidor consiga facilmente entender tudo isso.

As transações de compra e venda são efetuadas com a utilização destes códigos. É preciso atenção para entender o tipo do papel e evitar assim alguma operação equivocada. 

Os códigos de ações seguem um padrão e sempre possui 4 letras, em caixa alta, que faz indicação ao nome da empresa. Por exemplo: PETR4 (Petrobras) e MGLU3 (Magazine Luiza). 

Depois das letras, vem um número, que indica o tipo de papel que está sendo adquirido. Basicamente existem dois tipos: ações preferenciais e ordinárias. Vamos ver como cada uma delas funciona. 

As Ações Preferenciais (PN) são aquelas que oferecem ao investidor a preferência no recebimento de dividendos da empresa, inclusive em casos de falência ou liquidação.

Já as Ações Ordinárias (ON) dão o direito ao voto nas assembléias, mas sem preferência no recebimento de dividendos. Quanto maior a quantidade, maior o peso do voto. 

Leia também

Descubra como investir na Bolsa de Valores

Significado dos números

Sabia que o final do código de negociação das ações não termina somente em 3 ou 4? O número que vai no final pode variar de 1 a 10. Abaixo o significado de cada um.

1 – Direito de subscrição de uma ação ordinária

Os códigos com final 1 são aqueles que dão o direito à subscrição de uma ação ordinária.

Dessa forma, a pessoa pode comprar esses papéis com prazo e preços pré-definidos, sem sofrer influência dos pregões. 

Se o investidor não quiser exercer o direito de subscrição, é possível vender esse direito de compra para terceiros no mercado secundário.

Para que você possa entender, esse direito garante a compra de um papel, porém não é a compra da ação em si. 

Imagine que o investidor compre por R$ 1 o direito de comprar uma ação do Itaú por R$ 20. Quando chegar o prazo final da subscrição, ele terá de comprar aquela ação por R$ 20. Se não fizer isso, ele perderá todo o capital investido no direito de subscrição. 

2 – Direito de subscrição de uma ação preferencial

Os códigos com final número 2 também dão direito a subscrição, porém para a compra de uma ação preferencial.

Mais uma vez, se o investidor não quiser exercer o direito de subscrição, também é possível vender esse direito de compra para terceiros no mercado secundário.

3 – Ação ordinária

O final 3 é bastante conhecido e correspondente ao código de uma ação ordinária – com direito a voto, como VIVA3. 

4 – Ação preferencial

Já os códigos de ação com final 4 indicam que o papel é uma ação preferencial, dando ao acionista a preferência no recebimento de dividendos, como PETR4, que já citamos. 

5, 6, 7 e 8 – Ações preferenciais de classes diferentes

Os códigos com final 5, 6, 7 e 8 indicam que as ações são preferenciais, mas pertencem a classes diferentes: classes A (PNA), B (PNB), C (PNC) e D, (PND), respectivamente.

Mas qual a diferença entre elas? Não dá para definir uma diferença clara. No geral, elas costumam variar de acordo com a empresa emissora da ação. Para descobrir certinho é preciso olhar o estatuto da empresa.

9 – Recibo de subscrição sobre ações ordinárias

Quando o investidor recebe o direito de subscrição da ação ordinária (com o final 1), ele ganha o final 9 antes de entrar na carteira. A partir desse momento, o investidor já pode negociar essa ação pelo preço determinado anteriormente. 

10 – Recibo de subscrição sobre ações preferenciais

Assim como no final 9, os códigos de ação que levam o final 10 identificam o recibo de subscrição, mas, neste caso, de ações preferenciais.

11 – ETF e Units

Na maioria das vezes, os códigos de final 11 servem para indicar que os papéis são ETF (Exchange Traded Funds) , que são fundos de índices comercializados como ações ou Units, que são pacotes de ações preferenciais e ordinárias negociadas em grupo. 

Um exemplo foi quando o Banco Inter anunciou em julho de 2019 a conversão de suas ações em units, com garantia dos mesmos direitos e vantagens aos investidores durante a transição. Assim, uma unit possui 1 ação ordinária (ON) + 2 ações preferenciais (PN). 

Atenção! O número 11 também pode ser confundido em tickers de Fundo Imobiliário, como FLMA11 ou ETFs, como BOVA11. 

Mercado fracionário

Geralmente, as ações são negociadas em lotes, que contém 100 ações. Porém, o investidor pode adquirir ações no fracionário a partir de um papel. Para isso, basta adicionar a letra “F” ao final do código da ação, por exemplo VALE3F. 

Dentro da plataforma do Gorila você também pode adicionar suas ações compradas no fracionário. Só digitar o ticker e ajustar a quantidade adquirida. 

Cadastre a compra das ações e acompanhe pelo Gorila: basta preencher as informações do ticker, data, quantidade e corretora. 

Mercado a termo

No mercado a termo, os códigos das ações também são parecidos com os do mercado à vista, mas acrescidos da letra T para indicar que o papel está sendo negociado no mercado à termo.

Acompanhe a rentabilidade da sua carteira de investimentos com o Gorila. Através das nossas mídias você fica por dentro das novidades sobre o mercado:  Facebook, Instagram, Twitter , Linkedin e Telegram

Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais