Saiba como funcionam os robôs de investimento

Eles consistem num sistema automatizado de consultoria e gestão de recursos que analisa as necessidades do cliente e monta uma carteira de investimentos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

SOUNDTRACK PARA OUVIR COM ESTE POST

Cada vez mais investidores confiam na tecnologia e nos algoritmos para gerir seu patrimônio. Uma tendência que vem ganhando espaço são os robôs de investimento, que administraram US$ 222 bilhões de ativos financeiros em 2017. Basicamente, os robôs de investimento consistem num sistema automatizado de consultoria de gestão de recursos e que funciona da seguinte maneira: ao analisar as necessidades do cliente, ele monta uma carteira de investimentos.

Todo o processo é feito pela internet. A primeira coisa que o investidor precisa fazer é entrar no site de empresas com robôs de investimento e preencher um formulário com algumas perguntas, que incluem idade e prazos para investir. Isso geralmente leva cerca de 10 minutos. Depois, o robô analisa o perfil financeiro e quais são os objetivos do investidor, como por exemplo, uma viagem ou a aposentadoria.

O investidor recebe então uma proposta de investimento, contendo os produtos indicados e também quanto vai ser preciso investir mensalmente para atingir o tal objetivo.

São vários os produtos financeiros disponíveis como CDB, fundos de Renda Fixa e ações. Se o investidor concordar com as opções selecionadas, basta transferir os recursos e deixar que o robô cuide do restante.

Vantagens

Uma das vantagem é trazer a facilidade para quem está iniciando no mundo dos investimentos e não tem muito tempo ou conhecimento dos ativos para investir. A tarefa de definir e depois reajustar os ativos fica a cargo dos robôs de investimento. Eles são programados para desenharem situações diversas de causa e efeito tendo como propósito atingir sempre a maior lucratividade ao investidor. Fora que os robôs não têm emoções e só seguem as regras programadas.

Riscos

Como qualquer tipo de investimento, há riscos. Como os robôs são programados por humanos, há chances de ações erradas acontecerem e os ativos não lucrarem como esperado. Outro fator que precisa ser levado em conta é atenção para responder ao questionário, uma vez que isso pode causar um investimento “inadequado” ao perfil do investidor.

Onde investir

No Brasil, as principais empresas que contam com robôs de investimento são Magnetis, Monetus, Warren e Vérios. O funcionamento é semelhante, mas é preciso ficar de olho nos tipos de investimento disponíveis, as taxas cobradas e o valor mínimo para investir. Por exemplo, a partir de R$ 100 dá para aplicar na Warren e Monetus. Enquanto que na Magnetis a aplicação inicial é de R$ 1.000, e na Vérios, de R$ 12 mil.

É interessante que os investimentos ficam registrados no nome do investidor. Além disso, as empresas que oferecem os robôs de investimento são fiscalizadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o órgão responsável por regular o mercado financeiro.

Curtiu aprender sobre os robôs de investimento? Conhece alguém que já investe dessa forma? O Gorila gosta de trazer sempre informações que sejam válidas para nosso investidor. Por isso, aproveita para compartilhar com amigos essa dica. Ou se preferir, pode deixar um recado nas nossas redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Linkedin!

Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais