Os 5 Mandamentos do Investidor de Sucesso

Uma vez que tenha adentrado no universo dos investimentos, o próximo passo é entender de que forma tornar a prática ainda mais lucrativa e interessante. Alguns hábitos de investidores de sucesso podem ajudar, conheça!
5 mandamentos do investidor de sucesso
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

SOUNDTRACK PARA OUVIR COM ESTE POST

Se este conteúdo te atraiu, é porque investir já não é mais um bicho de sete cabeças para você, não é mesmo? No entanto, não basta entender a importância e as maneiras de aplicar seu rico dinheirinho. Como qualquer coisa em que se resolva empreender na vida, o processo de investir também tem seus “macetes” sendo que alguns deles são praticamente mandamentos que o investidor de sucesso segue (estamos falando de Benjamin Graham, Warren Buffet, Peter Lynch, e muitas outras lendas). Confira os principais!

1. Não especularás!

Antes de mais nada, é válido lembrar que especulação significa focar no lucro no curto prazo, independente do cenário (tanto no aumento quando na queda de um ativo) e geralmente tomando-se um risco maior, diferente do approach de investidor de longo prazo, que visa garantir um retorno consistente no longo prazo.

Ou seja, a grande motivação dos especuladores é o potencial de lucro imediato, mesmo que isso signifique tomar um risco de capital excessivo.

2. Aplicarás mensalmente

A construção de um patrimônio requer muita disciplina e resiliência. Às vezes as pessoas não dão a devida importância a isso, mas poupar é tão (ou mais) importante quanto saber investir.

Você sabia que a disciplina de economizar dinheiro é responsável por mais de 50% do aumento do patrimônio? Você pode desenvolver esse hábito e aprender a lidar com o seu orçamento de uma forma mais saudável controlando melhor os seus gastos e aumentando gradativamente o seu objetivo de poupança.

E não adianta achar que poupar só faz sentido para quem ganha muito dinheiro. Essa é uma das maiores falácias, tendo em vista que hábitos são construídos ao longo do tempo. Supondo que você nunca tenha feito realizado uma corrida de rua, se alguém lhe convidar para correr uma maratona é bem possível que você não vá aguentar certo?

Com investimentos é a mesma coisa: uma pessoa que passou 20, 30 ou 40 anos sem poupar dinheiro enfrentará muita dificuldade em desenvolver esse hábito. Por que não começar desde cedo? Com metas proporcionais a sua mesada, bolsa de estágio, salário do primeiro emprego, bônus, etc, é possível desenvolver essa disciplina e tornar as coisas muito mais simples.

Aguardar “sobrar” um montante para começar sua trajetória no mundo dos investimentos já não é mais uma desculpa aceitável. Vale lembrar ainda que o Tesouro Direto disponibiliza investimentos a partir de R$30, que podem inclusive ser mais rentáveis que a poupança!

E embora o discurso pareça muito duro, o caminho não é tão tortuoso quando se tem planejamento. Refaça seu orçamento, mas tenha em mente que isto não deve ser um sacrifício, basta adaptar seus gastos, sem abrir mão dos momentos de lazer e conforto.

3. Buscarás conhecimento

Você deve se lembrar do ET Bilu e seu conselho memorável dedicado à humanidade: “apenas que busquem conhecimento”, não? Não importa! O que se deve compreender é que a célebre frase que ficou marcada nos anais dos memes televisivos brasileiros é exatamente uma das práticas essenciais do verdadeiro investidor de sucesso.

Já falamos sobre a importância de investir e controlar seus investimentos, bem como a necessidade de se auto conhecer e entender o funcionamento do mercado financeiro. Estudar os tipos de aplicação, além de se manter atualizado sobre os acontecimentos no cenário econômico nacional e internacional também entram na conta.

Hoje em dia há inúmeros canais de educação financeira que facilitam muito esse processo e te ajudam a entender melhor as diferenças entre os investimentos disponíveis. Isso tudo facilita entender o impacto dos acontecimentos nos seus ativos e como traçar escolher os investimentos certos para os seus objetivos.

4. Pesquisarás os produtos mais “baratos” e mais rentáveis

Assim como quando vamos ao supermercado e fazemos uma rápida pesquisa de preço na hora de escolher o amaciante, o processo do investidor não deveria ser diferente.

Primeiro sabemos qual é a nossa necessidade: amaciante para quem mora sozinho ou para a família inteira? Para quem lava as camisas na lavanderia ou joga tudo na máquina? Concentrado ou diluído? Vai comprar vários de uma vez ou apenas o necessário para as roupas da semana?

Tendo isso em mente fica muito mais fácil saber o que você precisa e quanto está disposto a pagar, certo? E outra, se você está habituado a sempre comprar o mesmo amaciante, é bem simples saber identificar se há uma promoção ou se o produto ficou mais caro (olha a inflação aí galera!).

Por mais curiosa que seja essa comparação, o processo não é muito distinto quando se trata de investimentos. Primeiro você precisa se conhecer, saber qual é o seu perfil e quais são os seus objetivos. Vai viajar no final do ano com a família? Ou quer poupar para a faculdade do Pedrinho? Está pensando na aposentadoria? Para cada meta há um produto que faz mais sentido.

Tendo os seus planos definidos, agora é dar aquela pesquisa nos “supermercados financeiros” e comparar as taxas disponíveis, custos tributários e de corretagem, administração, etc. Lembrando que quanto mais se acompanha o mercado mais fácil fica de identificar se um produto está caro ou barato (a mesma coisa com o amaciante).

Vale dizer que algumas corretoras e distribuidoras independentes possuem taxas melhores do que as apresentadas pelos bancos tradicionais.

5. Diversificarás a carteira

O bom e velho provérbio português “não ponhas todos os ovos na mesma cesta” faz todo o sentido quando se fala de ter sucesso nos investimentos. Recorrendo mais uma vez à memória, voltemos aos anos 90, quando o presidente na ocasião era Fernando Collor de Mello (aquele mesmo que sofreu um impeachment, sabe?).

Quem tinha investimentos na poupança nessa época sofreu o baque de ter toda a sua economia investida confiscada pelo governo por meio do Plano Collor. Imagine que algo semelhante aconteça e de repente o governo ordena o confisco de todo seu investimento no Tesouro Direto, por exemplo, ou em qualquer outro produto?

Mantendo seus recursos aplicados em diversos ativos, além de assegurar parte de suas economias em uma hipótese de confisco, você consegue equilibrar suas perdas em determinados ativos com os ganhos em outros.

Curtiu?

Compartilhe essa informação nas redes sociais e siga o Gorila!


Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais