Investimentos 2022: dá pra aprender com as piores e melhores ações de 2021?

Sim! Especialista analisa piores e melhores ações de 2021 e mostra que o ano passado tem muito a ensinar neste ano.
Melhores ações de 2021: escultura de touro ao lado de gráfico onde se vê a rentabilidade das ações subindo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

O início do ano é um ótimo momento para fazer um balanço da vida, mas, além disso, é uma boa oportunidade para fazer uma retrospectiva do que aconteceu no ano anterior e preparar a carteira para o ano que virá. Pensando nisso, analisamos as piores e melhores ações de 2021 e descobrimos o que dá para aprender com esse resultado.

Nessa missão, o Gorila entrevistou Isabela Cassilha, planejadora financeira CFP®, especialista em investimentos e sócia da Passer Consultoria.

Antes de mais nada, vamos recapitular o que aconteceu ano passado. Confira abaixo o ranking das piores e melhores ações de 2021:

Melhores ações de 2021

  1. EMBR3 (Embraer): 180,45%
  2. BRKM5 (Braskem): 176,27%
  3. JBSS3 (JBS): 75,78%
  4. MRFG3 (Marfrig): 73,10%
  5. PRIO3 (PetroRIo): 47,22%

Fonte: Broadcast

Piores ações de 2021

  1. MGLU3 (Magazine Luiza): -71,04%
  2. VIIA3 (Via Varejo): -67,51%
  3. AMER3 (Americanas): -58,23%
  4. EZTC (EZTEC): -51,71%
  5. NTCO3 (Natura): -51,56%

Fonte: Broadcast

Acontecimentos de 2021 que levaram empresas ao topo da bolsa

Ao infinito e além! 

A líder no ranking de melhores ações de 2021, Embraer, animou o mercado e apresentou alta surpreendente após anunciar fusão da Eve, sua subsidiária, com a Zanite. Juntas, elas formarão uma holding cujo objetivo será acelerar a corrida pelos carros voadores.

Isabela Cassilha destaca que a retomada da aviação comercial também ajudou a companhia a “decolar”. “Como a Embraer está bem posicionada às exportações, a valorização do dólar frente ao real impulsionou seus lucros”, explica. Além disso, a diminuição das restrições da pandemia, avanço da vacinação e retorno gradual das viagens fizeram o setor aéreo se beneficiar.

Braskem, a petroquímica queridinha de 2021

O desinvestimento de seus controladores, Petrobras e Novonor, fez com que a petroquímica tivesse alta valorização. Fora isso, balanços positivos, bons indicadores e a retomada de fornecimento de gás natural no México também foram pontos positivos, diz Cassilha.

A carne é fraca? Na bolsa não!

O terceiro e quarto lugar do ranking de melhores ações de 2021 ficaram com frigoríficos. Cassilha esclarece que a alta da JBS e Marfrig se deve à exposição ao mercado americano, uma vez que a demanda por carne bovina cresceu muito na América do Norte.

Fora isso, “Diferente de outros países, o Brasil não paralisou a produção de proteína animal, atendendo tanto a demanda interna quanto o exterior – principalmente a China, maior importadora de frango e suínos. O volume de exportações também bateu recordes, aliado a um câmbio vantajoso. Se por um lado os custos de produção aumentaram (muito influenciado pelas condições climáticas e pela crise hídrica), por outro, a receita em dólar potencializou os lucros”, analisa a especialista.

A beleza está nos óleos de quem vê

Os bons resultados da PetroRio levaram a petroleira ao quinto lugar do ranking de melhores ações de 2021. A otimização do portfólio de exploração e possibilidade de novos campos que podem aumentar a produção em cerca de 155%.

A maioria das empresas que se destacaram são do setor de commodities

Petróleo, energia, proteína animal… Nas melhores ações de 2021 as commodities roubaram a cena. Cassilha explica que o setor teve alta de 50,72% no ano passado.

“É o que chamamos de ‘boom’ de commodities. O Brasil é um dos maiores produtores de matéria-prima no mundo e, com o aumento nos preços, os ganhos de muitas empresas foram potencializados”, acrescenta.

Para saber mais:
O que são commodities? Veja como funciona e como investir nesse mercado

Piores ações de 2021 são de varejistas: se correr o juro pega, se ficar o juro come!

A alta dos juros foi a grande vilã para o varejo em 2021. Quatro das cinco empresas que pior performaram no ano passado são desse setor. 

“Varejistas ligadas ao e-commerce são muito impactadas pelo aumento da inflação (significa despesas com marketing e outros custos operacionais mais altos) e pela alta da taxa de juros (crédito mais caro para financiar o crescimento da companhia). É por isso que Magalu, Via, Natura e B2W Digital (Americanas) ficaram entre as cinco maiores quedas da bolsa”, esclarece Cassilha.

Vai te ajudar:
Juros e inflação: entenda de uma vez por todas a relação entre eles!

Quanto mais alto, maior o tombo

De modo geral, a bolsa caiu em 2021. Mesmo com o índice Ibovespa chegando à máxima histórica nominal de 130.776 pontos em junho, houve amarga queda e o ano acabou aos 104.822 pontos.

Além do aumento dos juros, que fez com que os investidores migrassem para renda fixa, Cassilha justifica a queda com dois outros fatores. Primeiro, o risco fiscal agravado com as incertezas da PEC dos precatórios. Depois, a disseminação da nova variante Ômicron, que ainda assusta o mercado. 

A luz no final do túnel? Era um trem…

Não foi em 2021 que nos despedimos da pandemia e a tese de reabertura econômica fracassou. Cassilha vê esse resultado como fruto do atraso das vacinas em diversos países somado aos vilões que impactaram a economia em setores inteiros. A inflação mexeu no bolso e nas prioridades de compra das famílias. Nesse cenário, o Banco Central atuou elevando os juros e tornou mais caro os empréstimos e financiamentos. 

A especialista pontua ainda que o desemprego também entrou na conta: “Atualmente a taxa de desempregados no Brasil está em 12,6%. Estamos   falando  de   13,5   milhões de brasileiros sem renda”. 

Vem aí: acontecimentos que impactarão 2022

Alguns dos acontecimentos que impactaram as piores e melhores ações de 2021 ainda repercutirão no mercado financeiro em 2022. Isabela Cassilha considera pelo menos quatro:

  • Pandemia: a baixa adesão à vacinação em nível global aumenta o risco de novas ondas de COVID-19 e variantes. A Ômicron foi um exemplo em 2021. Com os hospitais sobrecarregados, haveria um agravamento na crise sanitária.
  • Inflação: ela foi um dos temas centrais de 2021 e deve continuar no radar dos investidores em 2022. É com base no aumento ou na diminuição da inflação que os bancos centrais mundo afora vão seguir com uma política monetária mais contracionista ou mais expansionista. Aqui no Brasil, com a Taxa Selic subindo, a expectativa é que a inflação desacelere gradualmente ao longo de 2022.
  • Política monetária nos EUA:  depois de tantos estímulos monetários nos EUA, o banco central americano, Fed, deve retirar liquidez da economia, reduzindo a compra de títulos e aumentando os juros. Na ata da última reunião do Fed, vimos novos sinais de uma antecipação: a expectativa é que a partir de março inicie a primeira de três altas nos juros em 2022.
  • Risco fiscal + Eleições: esse cenário mais polarizado (Lula x Bolsonaro) deve resultar no aumento do populismo, o que significa mais gastos e um impacto direto nas contas públicas. O grande ponto das eleições é descobrir qual candidato vai conseguir enfrentar da melhor forma os desafios econômicos, reaquecer o consumo depois da pandemia e “estancar” o avanço da dívida do país. 

Dicas para investir bem em 2022

“Cautela e diversificação são as palavras da vez”, aconselha Cassilha. Após um ano difícil como 2021 e um 2022 que também promete desafios, a especialista considera interessante aumentar a exposição em ativos menos voláteis. 

“Minha   recomendação   inicial   é   fazer   um   bom   ‘colchão’  em aplicações de renda fixa, tanto títulos pós-fixados quanto títulos atrelados à inflação para manter o poder de compra. Várias casas de análise já projetam Selic em 11,75% e até 12% a.a. Se isso se concretizar, veremos títulos pagando com facilidade 1% ao mês.”, diz. 

“Também considero fundamental ter uma exposição ao exterior e dolarizar parte da carteira. Afinal, o dólar é a moeda mais forte do mundo e anda na direção inversa do Ibovespa. Deixar 100% do dinheiro alocado no Brasil é um risco alto de concentração geográfica.”, complementa

Já que o tema é dólar:
Taxa de câmbio: o que é e como ela define o preço do dólar
Diversificação de investimentos no exterior: aprenda a montar sua carteira

Por outro lado, Isabela Cassilha enxerga boas oportunidades na bolsa com ações de excelentes empresas por um preço baixo. Do mesmo modo, a planejadora financeira julga que os fundos imobiliários também podem ser comprados com desconto. 

“Avalie os indicadores, estude os fundamentos, analise o gráfico, faça aportes graduais… e foque no longo prazo!  Quem quer investir em 2022 precisa estar preparado para todas as possibilidades. Por isso, minha dica é formar um caixa de oportunidades bem robusto para aproveitar eventuais quedas expressivas no ano. E por fim, tenha muita cautela diante desse cenário desafiador”, finaliza.

Investidor + Gorila = Match perfeito

O Gorila esteve ao lado dos investidores em 2021 e estará presente em 2022 também. Então, conte conosco para te ajudar sempre!

Somos uma plataforma onde você pode consolidar todos os seus investimentos em um único lugar. E, através dos melhores relatórios, você acompanha como sua carteira está performando.

Melhores ações de 2021: aplicativo do Gorila exibindo os níveis dos ativos na carteira de investimentos.
Aplicativo do Gorila exibindo níveis da carteira.

Acesse o site ou baixe nosso app na Google Play Store ou App Store para ter uma visão completa do seu portfólio!

Curtiu? Siga também as nossas redes sociais para aprender mais conceitos do mercado e ficar por dentro das principais novidades: Instagram, Facebook, Twitter, LinkedIn e Telegram.

*Texto escrito sob supervisão de Álvara Bianca.

Controle seus investimentos com o Gorila

Não perca mais tempo com tabelas e planilhas. Conheça uma nova forma de acompanhar a rentabilidade da sua carteira de investimentos.

Controle seus investimentos com o Gorila

E tenha a plataforma mais completa para acompanhar a sua rentabilidade de forma rápida, fácil e transparente.

Leia mais

Leia mais